Menu
Login
Codinome:

Senha:




Artigos: Semana Santa  
Autor: jblibanio
Publicado em:: 2013/2/1
Leituras:
Tamanho:
Página para Impressão Indique a um Amigo
 

Páscoa: luz de esperança

J. B. Libanio

O Tempo – 23 de março de 2008

                   no início de nossa , Abraão esperou contra toda esperança (Rm 4, 18). Homem simples e piedoso, envolvido ainda no mundo de muitos deuses, pouco a pouco, descobre o Deus verdadeiro e nele deposita toda a confiança. na cruz, Jesus esperou a ressurreição contra toda esperança de vida, ao morrer cercado de inimigos, no silêncio e abandono doloroso de seu Pai. Quanto mais escura se faz a noite, mas radiosa aparecerá a aurora para quem espera o rolar das horas!

                   Páscoa desperta fulgurante na noite pesada de uma humanidade, envolvida em tantos crimes. Palavras como guerra, violência urbana, tensões entre países na América Latina com a ameaça de vietnização e palestinização provocada por interesses estranhos, corrupção, orgia de elites perdidas, droga, miséria faminta de regiões e países enchem manchetes.

                   Todos esses males ceifam vidas inocentes "antes de tempo". Nãosolução para o problema da morte. Nenhum recurso tecnológico nos restitui a vida que a violência nos arrebatou.

                   Nesse momento, ilumina-nos o raio de esperança da Páscoa. o Infinito de ternura e misericórdia de um Deus, que ressuscitou seu Filho, resgatando-o da cruz para o Reino de luz da eternidade, é capaz de recolher os mortos e devolver-lhes a vida. Ao contemplar as cenas de morte que a mídia de maneira fantasmagórica, cada dia, nos desenha tragicamente diante dos olhos, a única e última consolação se volta para Deus. Ele sofre as nossas dores, chora nossas lágrimas, conta os nossos mortos. Nós, paramos . A nossa pequenez não vai mais longe. Mas Ele, infinito amor, batalha dentro da história e para além dela unicamente em prol da vida. Na história, ao insuflar nos corações humanos desejos de vida e, para além da história, ressuscita os mortos.

                   Deus envolve com os braços infinitos de seu Amor cada vítima de nossas violências e lhes restitui a vida em plenitude. Crianças, mães grávidas, anciãos, indefesos de todos os tempos estão sujeitos a uma bala perdida, a um assalto assassino, a uma explosão inesperada. Que Deus tenha compaixão também dos criminosos que atacam com armas até os dentes. Atrás de sua aparência monstruosa de poder esconde fragilidade humana, carente de salvação. Envolvidos desde cedo pelo crime organizado, pela brutalidade respirada no ambiente, se iludem pensando conseguir riqueza ou dinheiro à custa de seus crimes.

                   O mundo de mortes tenta-nos desacreditar do próprio ser humano e leva-nos a perder a esperança na capacidade humana de bondade. Tão horripilante violência faz-nos julgar a humanidade por esse viés.

                   Os momentos extremos de crise despertam no ser humano o que ele tem de pior. Os demônios, que muitos vêem fora tentando o mundo e provocando sede de exorcismos, existem no interior das pessoas, nas maldades que praticam, acumulam e introjetam da sociedade. Dormem silenciosos, mas ao som de algum estrépito ou estampido ensurdecedor, acordam sobressaltados e agitam as pessoas. É a Sexta-feira da paixão de nossa humanidade.

                   Existe Páscoa. Milhões de pessoas, especialmente de jovens, saem às ruas em todas as partes do mundo levando a bandeira branca da paz, ostentando cartazes de “Não à violência”, “Queremos Paz”. Nas liturgias, nas orações, ressoam tantas vezes a palavra PAZ, como uma luz de ressurreição na noite sombria da paixão humana.

                   Nesse tempo pascal, guardemos firmes a esperança da vitória da vida sobre a morte, da ressurreição sobre os cadáveres, da justiça em favor da vítima sobre o algoz e do amor de Deus sobre o ódio dos homens. Cristo ressuscitou, aleluia. Parafraseando S. Leão Magno, quando Cristo ressuscita não pode haver tristeza; ele dissipando o temor da morte, enche-nos de alegria com a promessa da eternidade. Aleluia.

 

 



O grupo de amigos e admiradores de Pe. J.B. Libanio é um projeto sem fins lucrativos comprometido com a Evangelização para mais servir e amar.
Desenvolvido por ABNEXO